Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Caronte, a lua de Plutão no estilo Hulk: um possível oceano antigo?

17.02.16

 



     Aqui.

A maior lua de Plutão talvez se tenha tornado demasiado grande para a sua própria 'pele'.

Imagens da New Horizons da NASA sugerem que a lua de Plutão, Caronte, terá tido um oceano subterrâneo que há muito congelou e expandiu, puxado para fora e fazendo com que a superfície da lua tenha esticado e fracturado numa escala maciça.

O lado da lua de Plutão visionado pela sonda New Horizons em Julho de 2015 é caracterizado por um sistema de falhas tectónicas feito de 'puxadas', que estão expressas em vales, escarpas e falhas, alguns atingindo 6,5 km de profundidade.

A tectónica da paisagem de Caronte mostra que, de algum modo, a lua expandiu no passado, e - como Bruce Banner a rasgar a sua camisola à medida que se torna no Incrível Hulk - a superfície de Caronte fracturou à medida que esticava.

A camada exterior de Caronte é principalmente gelo de água. A camada foi mantida quente quando Caronte era nova pelo aquecimento dado pela decadência de elementos radioactivos, bem como o próprio calor interno da formação do planeta. Os cientistas dizem que Caronte pode ter sido suficientemente quente para causar o derretimento do gelo de água bem no interior, criando um oceano abaixo da superfície.

Mas à medida que Caronte arrefeceu com o tempo, este oceano teria congelado e expandido (como acontece com a água congelada), levantando as camadas superficiais da lua, produzindo as fracturas maciças que vemos hoje. O topo da imagem aqui apresentada, mostra uma característica denominada Serenity Chasma, que é parte de um cinturão equatorial de falhas de Caronte.

De facto, este sistema de Chasmas ou falhas, é um dos maiores vistos em qualquer lugar do sistema solar, com 1800 km de comprimento, e indo até 7,5 km de profundidade. Em comparação o Grand Canyon tem 446 km e até 1,6 km de profundidade.

A porção abaixo da imagem mostra a topografia a cores da mesma imagem. Medidas das formas destas características, dizem aos cientistas que o gelo de água de Caronte poderá ter sido, pelo menos parcialmente líquido na sua história passada, e recongelou desde então.

A imagem foi obtida pela câmara Long-Range Reconnaissance Imager (LORRI) na New Horizons. Norte é em cima; a iluminação vem do topo esquerdo da imagem. A resolução é de 394 metros por píxel. A imagem mede 386 km de comprimento e 175 km de largura.

Foi obtida a uma distância de 78,700 quilómetros de Caronte, cerca de uma hora e quarenta minutos antes da maior aproximação a Caronte a 14 de Julho de 2015.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03



Pesquisa

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829




Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D