Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



'Selfie' arenosa enviada pelo rover marciano da NASA

06.02.16

 



19 de Janeiro 2016 - auto retrato da Curiosity na 'Duna Namib'

O último auto-retrato do rover Curiosity da NASA mostra um laboratório móvel do tamanho de uma carro, ao lado de uma duna escura onde tem andado a escavar e peneirar amostras de areia.

A nova 'selfie' combina 57 imagens realizadas pela câmara MAHLI, na ponta do braço robótico da Curiosity a 19 de Janeiro. O rover tem estado a investigar um grupo de dunas de areia activas há cerca de dois meses, estudando como vento sopra e tipos de partículas de areia em Marte. O lugar faz parte do Campo Dunar Bagnold, que fica no flanco Noroeste do Monte Sharp, em Marte.

Quando as imagens foram montadas, o rover tinha escavado a ponta da 'Duna Namib' e recolhido a primeira de três amostras de areia dessa duna. Usou a sua pá mais tarde para recolher uma segunda amostra a 19 de Janeiro e uma terceira a 22 de Janeiro.

Durante o processo da terceira amostra, uma parte do aparelho do processo de análise da amostra, não actuou como esperado quando comandado. A equipa da Curiosity está a identificar possíveis razões para o procedimento do aparelho na análise.

O aparelho de processamento no braço é denominado CHIMRA, para recolha e manuseamento no local de análise de rochas marcianas. O componente que teve o comando de 'abrir', mas que não abriu, é chamado o túnel de CHIMRA. É aberto ao levar uma pancada no 'actuador', um componente motorizado que serve também para dar uma palmada firme, que ajuda a limpar o material das peneiradas. Parte da terceira amostra escavada está dentro do túnel CHIMRA após ter passado pela peneira. Se o túnel abriu através da 'palmada' do actuador como planeado, o próximo passo teria sido o de tirar uma fotografia da areia dentro dele.

'O rover respondeu propriamente a este evento inesperado,' disse Steve Lee, gestor do projecto para a Curiosity, no Jet Propulsion Lab da NASA na Califórnia. 'Parou de se mover no actuador e interrompeu o uso do braço robótico e sistema de amostragem.'

Enquanto o diagnóstico do trabalho progride, a equipa também está a continuar a usar os instrumentos de sensor remoto da Curiosity e instrumentos de monitorização ambiental. Uma parte da investigação dunar é ver a mesma localização repetidamente de modo a verificar o movimento de graus de areis causadas pelos ventos de Marte. Se o movimento ocorrer, a equipa poderá utilizar os equipamentos do rover de medição do vento para relacionar a força e direcção dos ventos que poderão causar o movimento.

Na segunda amostra da 'Duna Namib', a Curiosity usou com sucesso as duas peneiras da CHIMRA de modo a preparar as porções para análise. Estes dois procedimentos de peneiras não tinha sido usado previamente nos três anos e meio do rover em Marte.

A porção resultante foi feita de grão de areia suficientemente grandes para serem parados pela peneira com poros de 150 microns e suficientemente pequenos para passarem pela peneira com poros de 1 mm. Este tamanho de grão intermédio foi entregue ao laboratório de análise química interno do rover.

A terceira amostra teve o mesmo procedimento, mas a equipa cientifica decidiu que a porção entregue da segunda amostra era suficiente. Enquanto o rover segue após o trabalho de diagnóstico na CHIMRA, já terá terminado as suas investigações na 'Duna Namib'. A missão de examinar dunas de areia activas - a primeira de sempre a ser estudada de perto, para além das da Terra - está a providenciar informação acerca de processos dunares em condições de atmosfera muito rarefeita e de menos gravidade que a da Terra.

Pesquisadores estão a avaliar possíveis lugares para usar a broca da Curiosity de modo a recolher amostras de rochas na área.

A Curiosity atingiu a base do Monte Sharp em 2014, após investigação frutífera de camadas rochosas perto do seu local de aterragem, batendo posteriormente o terreno da montanha sedimentar. Na parte mais baixa da montanha, a missão está a estudar como o antigo ambiente de Marte mudou das condições de humidade favoráveis à vida microbiana, para condições mais duras e secas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:27



Pesquisa

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829




Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D